Boletim Mensal da Dívida Pública, março 2017, IGCP

Página criada: Sexta-feira, 24 Março 2017 16:15GMT | Atualizada: Sexta-feira, 24 Março 2017 16:21GMT

Comunicado de Imprensa:  24 março 2017 - 5 Página(s)
Palavras-Chave:
Custo da dívida  Dívida Pública   Estado  Governo   Juros  Obrigações

Evolução da dívida direta do Estado

Em 28 de fevereiro de 2017, o saldo da dívida direta do Estado cifrou-se em EUR 240.549 milhões, aumentando 0,7% face a janeiro de 2017. Este incremento do stock ficou a dever-se, essencialmente, ao aumento do saldo de OT, explicado pelos leilões da OT 2,2% OUT2022 (no montante de EUR 665 milhões) e da OT 5,65% FEV2024 (no montante de EUR 636 milhões), que mais do que compensaram as recompras bilaterais da OT 4,35%OUT2017 (com o valor nominal total de EUR 98 milhões) e da OT 4,45%JUN2018 (com o valor nominal de EUR 134 milhões), e do saldo de BT, após a realização de 2 leilões, nos montantes de EUR 279 milhões (na linha a 3 meses BT 19MAI2017) e EUR 1.001 milhões (na linha a 11 meses BT 19JAN2018). Por outro lado, verificou-se um reembolso antecipado do empréstimo FMI no montante de SDR 1.332 milhões (o equivalente a EUR 1.703 milhões) e uma amortização parcial de um MTN (BND EUR OUT2022) no valor nominal de EUR 54 milhões. O saldo de CA diminuiu EUR 165 milhões, enquanto o saldo de CT manteve um contributo positivo, aumentando EUR 375 milhões. O stock de CEDIC registou um acréscimo de EUR 451 milhões, enquanto o saldo de CEDIM se manteve inalterado. Verificou-se ainda um aumento do saldo de Outros instrumentos de dívida não transacionável denominados em euros no valor de 125 milhões, decorrente da assunção de dívida financeira da Carris (EUR 203 milhões, dos quais EUR 78 milhões foram amortizados no próprio mês). As contrapartidas das contas margem recebidas no âmbito de derivados financeiros registaram um aumento de EUR 97 milhões. As flutuações cambiais contribuíram para um para um acréscimo do stock da dívida em EUR 246 milhões.

A dívida após coberturas cambiais situou-se em EUR 238.209 milhões, refletindo os efeitos favoráveis das coberturas cambiais (no valor de EUR 2.340 milhões). Face a janeiro, a dívida após coberturas cambiais aumentou 0,6%.