NOS Resultados, 9M 2017

Página criada: Quinta-feira, 9 Novembro 2017 14:24GMT | Atualizada: Sexta-feira, 10 Novembro 2017 11:22GMT

Comunicado de Imprensa:  09 novembro 2017 - 20 Página(s)
Palavras-Chave:
Comunicações  Media  Multimedia  Nós  TV

Análise Operacional
No 3T17 a NOS continuou a crescer em todas as principais métricas operacionais.
A convergência é uma tendência que denota alguma maturidade, sendo que 47,3% dos clientes fixos
já subscrevem os seus serviços de comunicações e entretenimento em ofertas pacotizadas. Os mais
recentes dados de quotas de mercado reportados pelo regulador, referentes ao final do 2T17,
demonstram que a NOS lidera com uma quota de mercado de 40% das ofertas em pacote.
O crescimento do ARPU é impulsionado por uma combinação do aumento do número de RGUs por
conta, da maior proporção de contas de maior valor no mix de clientes e de uma melhoria no
ambiente de pricing. No 3T17, o ARPU Residencial aumentou em 4,1% para 44,6 euros.
O número de clientes de TV por Subscrição é a principal medida do crescimento no segmento
residencial, sendo a base para a venda adicional de todos os outros serviços. No 3T17, o nível de
clientes de TV por Subscrição aumentou em 2,4 mil, resultando de uma combinação de 5,5 mil
subscritores fixos adicionais com um decréscimo da base de clientes de satélite, de 3,1 milhares. O
crescimento líquido da base de TV por Subscrição no 3T17 foi alcançado apesar do impacto, até ao
momento, dos remédios impostos a todo o mercado pelo regulador relativamente aos procedimentos
de comunicação de aumentos de preços. Os clientes de DTH têm vindo a registar uma tendência
trimestral negativa em termos de adições líquidas, principalmente devido à crescente cobertura das
redes fixas de nova geração em Portugal, com a expansão da respetiva cobertura por parte dos
principais operadores.
A penetração da Banda Larga e da Voz Fixa continua a crescer. No final do 3T17, a NOS tinha 1,321
milhões de clientes de Banda Larga e 1,753 milhões de subscritores de Voz Fixa, representando
respetivamente 77,4% e 87,0% da base de clientes de acesso fixo.
No B2B, a NOS tem focado os seus esforços principalmente na captura de uma maior quota de receita
no âmbito das contas Corporate de média e grande dimensão já existentes e na expansão da venda
de novos serviços, nomeadamente implementando serviços de TI e gestão de dados com soluções
completas de serviços direcionadas para os diversos subsegmentos. O modelo operacional nos
subsegmentos B2B foi revisto no sentido de garantir que a NOS está presente nas fases da relação com
o cliente mais relevantes em termos de margem, tornando-se num produtor ao invés de um puro
revendedor de serviços, onde relevante. A NOS está bem posicionada para capturar valor através de
serviços inovadores, desenvolvendo soluções tecnológicas suportadas por ativos de rede e plataformas
de vanguarda e fortes parcerias institucionais onde apropriado. A inovação contínua e aberta de
produtos e serviços e a excelência na entrega dos mesmos são as bases sobre as quais a NOS se
diferencia no mercado. No segmento de pequenas empresas, onde a NOS detém uma quota de
mercado comparativamente maior do que nas grandes empresas, a principal prioridade é defender o
potencial de receitas e margem, capturando progressivamente a sua quota natural de adições brutas.
No 3T17, a NOS aumentou os RGUs totais de B2B em 6,6 mil, com o ARPU por RGU a permanecer estável
nos 15,7 euros.



Título original:  Demonstração de Resultados, 9M 2017

Documento(s) Relacionado(s)