Previsões Agrícolas, outubro 2017, INE

Página criada: Segunda-feira, 20 Novembro 2017 16:16GMT | Atualizada: Segunda-feira, 20 Novembro 2017 16:29GMT

Comunicado de Imprensa:  20 novembro 2017 - 1 Página(s)
Palavras-Chave:
Agricultura   Previsões

As previsões agrícolas, em 31 de outubro, apontam para aumentos de produção nas fruteiras, amendoais, vinha e olival. Nos pomares de pomóideas, o tempo quente e seco não comprometeu a campanha: a produção de maçã deverá atingir as 300 mil toneladas, enquanto a de pera rondará as 165 mil toneladas (+25% e +20%, face a 2016, respetivamente). No kiwi, a floração e o vingamento dos frutos decorreram favoravelmente, e a entrada em plena produção de novos pomares foi decisiva para a produção record de 31 mil toneladas. A produção de amêndoa também deverá atingir níveis que já não eram alcançados há muitos anos (+282%, quando comparada com a média dos últimos cinco anos). As vindimas decorreram sem incidentes, observando-se um aumento da produção de vinho (+10%, face a 2016) que, a julgar pelo estado das uvas vinificadas, deverá ser de qualidade superior. Quanto aos olivais, e apesar da seca, a produção deverá ser próxima da normal, com os olivais intensivos a compensarem a menor produtividade dos tradicionais. Em contraciclo encontram-se os soutos, claramente afetados pela falta de precipitação, prevendo-se uma redução de 15% face à campanha anterior, com castanhas de menor calibre.
Nas culturas temporárias de primavera/verão destaca-se o tomate para a indústria, que aumentou a produção para os 1,68 milhões de toneladas, apesar do registo de problemas fitossanitários que dificultaram a maturação. No arroz, a falta de água disponível na bacia hidrográfica do Sado conduziu a uma diminuição da área semeada, com implicações na produção alcançada (10% inferior à média 2012-2016).



Título original:  Culturas de regadio apresentam bons níveis de produtividade

Documento(s) Relacionado(s)