Síntese da Execução Orçamental, janeiro 2018, DGO

Página criada: Sexta-feira, 2 Março 2018 13:43GMT | Atualizada: Sexta-feira, 2 Março 2018 13:50GMT

Comunicado de Imprensa:  02 março 2018 - 28 Página(s)
Palavras-Chave:

A execução orçamental das Administrações Públicas (AP) registou, no final de janeiro de 2018, um
excedente de 774,8 milhões de euros, o que se traduziu numa melhoria de 152,9 milhões de euros face ao
registado em igual período de 2017 (621,9 milhões de euros). O saldo primário foi excedentário em 1.225,3
milhões de euros, 409,6 milhões de euros acima do verificado em igual período do ano anterior.
A evolução registada resultou dos efeitos conjugados do aumento da receita (6,8%) superior ao verificado na
despesa (4,7%).
O aumento da receita (398,2 milhões de euros face ao período homólogo) reflete, essencialmente, a evolução
positiva da receita corrente, com particular destaque para a receita fiscal e para as contribuições para a
segurança social, as quais apresentam um crescimento de 8,1% e 7,4%, respetivamente.
O crescimento da despesa (em 245,3 milhões de euros face a janeiro de 2017) deve-se, principalmente, à
evolução da despesa com juros e outros encargos, com um contributo de 4,9 p.p., e que se encontra
fortemente influenciada pela regularização dos pagamentos referentes à liquidação dos cupões dos swaps
da Metropolitano de Lisboa, E.P.E., (no montante de 269,5 milhões de euros) decorrente do acordo de
regularização celebrado em maio de 2017 entre o Banco Santander e o Estado Português. Em sentido
contrário, a evolução da despesa beneficia do fim do pagamento do subsídio de natal em duodécimos e dos
efeitos do descongelamento das carreiras ainda não se ter refletido na totalidade.