Síntese Económica de Conjuntura, abril 2012, INE

Página criada: Sexta-feira, 18 Maio 2012 12:00GMT | Atualizada: Sexta-feira, 28 Março 2014 17:31GMT

Comunicado de Imprensa:  18 maio 2012 - 27 Página(s)
Palavras-Chave:
Consumo  FBCF  Indicadores de Curto Prazo  Inflação  Investimento

Na Área Euro (AE), o PIB em termos reais registou uma variação homóloga nula no 1º trimestre de 2012 (0,7% no 4º trimestre de 2011). Em abril, observou-se uma diminuição ligeira do indicador de sentimento económico e uma recuperação do indicador de confiança dos consumidores da AE. No mesmo mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -1,1% e -4,3% (0,7% e 5,3% em março), respetivamente.
Em Portugal, de acordo com a estimativa rápida, o PIB em volume apresentou uma variação homóloga de -2,2% no 1º trimestre de 2012 (-2,9% no trimestre anterior) e uma variação face ao trimestre precedente de -0,1%. Esta evolução resultou da redução do contributo negativo da procura interna. O indicador de clima económico aumentou de forma ténue em março e abril, suspendendo o acentuado movimento descendente iniciado em outubro de 2010. O indicador de atividade económica manteve em março o perfil negativo observado desde setembro de 2010. O indicador de consumo privado registou diminuições menos intensas entre janeiro e março, refletindo sobretudo o contributo negativo menos acentuado do consumo corrente. Em março, o indicador de FBCF apresentou uma redução mais expressiva, devido à evolução negativa mais significativa das componentes de construção e de material de transporte. Relativamente ao comércio internacional de bens, em termos nominais, as exportações e importações registaram variações homólogas de 11,6% e -3,3% em março (10,7% e -5,1% no mês anterior), respetivamente.
No 1º trimestre de 2012, a taxa de desemprego situou-se em 14,9% (mais 0,9 p.p. que no trimestre anterior). O emprego por conta de outrem passou de uma variação homóloga de -2,3% no 4º trimestre de 2011 para -4,0% no 1º trimestre de 2012, enquanto o emprego total diminuiu 4,2%. Esta evolução de emprego não foi homogénea entre os ramos de atividade, notando-se que a redução foi mais acentuada na Construção e em alguns serviços (Comércio e Alojamento e Restauração).
A variação homóloga mensal do Índice de Preços no Consumidor (IPC) passou de 3,1% em março para 3,0% em abril. Excluindo a energia e os bens alimentares não transformados, o IPC registou uma variação homóloga de 1,7% em abril (1,9% no mês anterior). O diferencial entre a variação homóloga do Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) de Portugal e da AE situou-se em 0,3 p.p. em abril, menos 0,1 p.p. que em março.



Título original:  Consumo atenua diminuição e investimento apresenta redução mais acentuada em março. Exportações nominais mantêm crescimento elevado e importações diminuem. - Abril de 2012