Notícias

Avaliação bancária das casas cai em dezembro, mas acumula subida de 0,3% em 2014 – INE

Página criada: Sexta-feira, 23 Janeiro 2015 14:53 GMT

Temática
Palavras-Chave:
Avaliação  Bancária  Casas  INE

O valor médio de avaliação bancária da habitação em Portugal registou em dezembro uma “ligeira redução”, para 1.005 euros por metro quadrado (m2), tendo aumentado 0,3% no conjunto do ano 2014, para 1.009/m2, divulgou hoje o INE.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), o valor de dezembro corresponde a uma diminuição de 0,1% (um euro/m2) e de 0,9% face ao mês anterior e ao período homólogo, respetivamente (variações de -0,8% e de -1,2% em novembro, pela mesma ordem).

Ler mais

No período, a maioria das regiões registou taxas de variação negativas com o Algarve, com um valor médio de avaliação de 1.223 euros/m2, a registar a redução homóloga mais intensa (-5,4%).

Por tipologias de habitação, verifica-se que o valor médio de avaliação bancária dos apartamentos diminuiu 0,3% em dezembro face ao mês anterior, para 1.043 euros/m2.

As regiões do Alentejo e do Algarve, com valores médios de 849 euros/m2 e 1.204 euros/ m2 e decréscimos mensais de 3,2% e 1,6%, respetivamente, foram as que mais influenciaram a variação agregada.

Já em termos homólogos, o valor médio de avaliação dos apartamentos no total do país diminuiu 0,6%, refletindo as variações negativas observadas na maioria das regiões NUTS II.

Para os apartamentos T2 e T3, o valor médio de avaliação para o total do país situou-se em 1.023 euros/m2 e 993 euros/m2, respetivamente.

No caso das moradias, o valor médio de avaliação bancária no país aumentou três euros/m2 em dezembro face a novembro, fixando-se em 943 euros/m2.

Segundo o INE, a região Centro e a Madeira foram as que mais influenciaram o acréscimo do valor agregado, com variações mensais de 0,6% e de 5,0% respetivamente.

Face ao período homólogo, o valor médio de avaliação das moradias diminuiu 0,8%, tendo-se observado reduções em todas as regiões, com exceção do Centro e da Madeira.

Para o total do país, as moradias de tipologia T3 e T4 registaram valores médios de avaliação de 927 euros/m2 e 951 euros/m2, respetivamente.

A análise por NUTS II dos índices de valor médio de avaliação bancária de habitação mostrou decréscimos relativamente ao mês anterior em 11 das 25 regiões analisadas, tendo as regiões de Terras de Trás-os-Montes e de Coimbra registado a diminuição mais acentuada (-3,2%).

Considerando todo o ano 2014, o valor médio de avaliação fixou-se em 1.009 euros/m2, o que se traduz num acréscimo de 0,3% relativamente ao ano anterior.

As regiões do Norte, do Centro e a Área Metropolitana de Lisboa registaram variações positivas entre 2013 e 2014, com esta última a apresentar a variação mais intensa (0,9%), tendo as restantes regiões apresentado uma redução anual do valor médio de avaliação, com destaque para o decréscimo de 8,4% na Madeira.

Por natureza de alojamentos, em 2014 o valor médio de avaliação bancária aumentou 0,5% nos apartamentos e 0,3% nas moradias, para valores médios de 1.047 euros/m2 e de 946 euros/m2.

O indicador do INE relativo ao valor médio de avaliação bancária da habitação em Portugal passou a integrar a partir do presente mês a publicação de valores médios de avaliação bancária, com dados retrospetivos a janeiro 2011, de acordo com a Nomenclatura Comum das Unidades Territoriais Estatísticas (NUTS) definida pelo Regulamento (UE) N.º 868/2014 da Comissão, de 8 de agosto de 2014, que altera os anexos do Regulamento (CE) N.º 1059/2003 do Parlamento Europeu e do Conselho.

Segundo o INE, é também integrada a 39ª Deliberação da Seção Permanente de Coordenação estatística do Conselho Superior de Estatística (CSE) relativa à “Tipologia de áreas Urbanas”, passando a ser divulgada informação do valor médio de avaliação bancária para os municípios/ área urbana com população superior a 100.000 habitantes, com base nos dados dos Censos 2011.

PD // ATR