Notícias

ISP vai decidir venda da Tranquilidade à Apollo até final do ano

Página criada: Terça-feira, 18 Novembro 2014 14:48 GMT

Palavras-Chave:
Apollo  ISP  Tranquilidade

O Instituto de Seguros de Portugal (ISP) quer dar o seu parecer sobre a venda da Tranquilidade à Apollo até ao fim do ano, disse hoje aos jornalistas o presidente, José Almaça, à margem da sua audição no parlamento.

“Espero que aconteça até ao final do ano”, respondeu o presidente do ISP aos jornalistas, no final de cerca de três horas e meia de audição na comissão de inquérito parlamentar à gestão do BES e do GES.

Atualmente, o ISP está “a avaliar se o comprador da companhia reúne todos os atributos”, quer comportamentais, quer financeiros, disse José Almaça aos deputados durante a sua audição.
“Tem que ser alguém que seja credível, que tenha ‘know how’ [conhecimento] no setor segurador e com capacidade financeira”, salientou.

Certo é que, para já, “a decisão ainda não está tomada”, já que o ISP está ainda a analisar toda a informação que tem sido enviada pelo comprador.

Almaça garantiu no parlamento que o supervisor dos seguros e dos fundos de pensões está a assegurar-se de que a operação não compromete o futuro da empresa e que respeita todas as responsabilidades assumidas junto de pensionistas e segurados.

“É um trabalho que se está a fazer”, sublinhou o responsável.

O aval do ISP é fundamental para que o Novo Banco concretize a venda da Tranquilidade aos norte-americanos da Apollo.

A seguradora Tranquilidade fazia parte do Grupo Espírito Santo (GES) e o valor oferecido pela Apollo ronda um total de 215 milhões de euros, dos quais 50 milhões de euros em dinheiro e mais de 150 milhões de euros garantidos para reforçar os capitais da instituição.

Terminada a audição de José Almaça, segue-se, à tarde, a do presidente da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos Tavares.

A comissão parlamentar de inquérito à gestão do BES e do GES arrancou na segunda-feira e no total serão ouvidas cerca de 130 personalidades ligadas direta e indiretamente ao assunto.

DN/PPF // CSJ