Notícias

Lucros da Semapa crescem 21,8% para 47,8 ME no primeiro semestre

Página criada: Segunda-feira, 1 Setembro 2014 8:52 GMT

Temática
Palavras-Chave:
Resultados  Semapa

Os resultados líquidos da Semapa aumentaram 21,8% no primeiro semestre deste ano face ao homólogo de 2013 para 47,8 milhões de euros, revelou hoje a empresa, que viu o volume de negócios manter-se estável.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, a Semapa informou que a subida dos lucros foi consequência de vários fatores, entre os quais a “diminuição das amortizações e perdas por imparidades” e a “diminuição de impostos de 20,6 milhões de euros”, que, por sua vez, resulta da “libertação de provisões que tinham sido constituídas neste âmbito e da redução da taxa de imposto de 30% para 25% na Tunísia”.

O volume de vendas aumentou 0,1% para 976,9 milhões de euros, tendo os setores de pasta e papel caído 1,2% para 747,2 milhões de euros e os cimentos aumentado 5,3% para 217,3 milhões, um comportamento positivo neste último caso que “se deveu maioritariamente à boa performance das operações de exportação de cimento e clínquer a partir de Portugal”.

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do grupo caiu 2,4% para 196,9 milhões de euros.

Sobre as perspetivas futuras, no campo do papel e pasta, o grupo Semapa refere que se estima que “o bom nível de procura por parte do mercado chinês aumente ainda mais nos próximos meses e se mantenha relativamente forte até ao final do ano, o que poderá contribuir de forma positiva para o equilíbrio do mercado”, sendo ainda esperado um crescimento junto das economias emergentes do segmento papeleiro de ‘tissue’ (papel absorvente próprio para higiénico, cozinha, entre outras aplicações).

No caso do cimento, “para 2014, é possível perspetivar um ponto de inflexão na evolução da atividade do setor da construção”, pode ler-se no relatório do primeiro semestre, no qual se acrescenta que “de acordo com os indicadores de sentimento económico, é possível que no segundo semestre se assista a uma recuperação da construção”.

TDI // VC