Notícias

Nova metodologia do Eurostat mantém défice português e reduz ligeiramente dívida

Página criada: Terça-feira, 21 Outubro 2014 14:14 GMT

Palavras-Chave:
Défice  Dívida Publica  Orçamento de Estado  SEC2010

A nova metodologia utilizada pelo Eurostat implicou poucas mudanças no cálculo dos valores do défice e da dívida em Portugal em 2013, “mantendo” o défice nos 4,9% do PIB e “reduzindo” a dívida pública de 129% para 128%.

O gabinete oficial de estatísticas da União Europeia publicou hoje a segunda notificação sobre os valores do défice e da dívida pública entre 2010 e 2013, recorrendo, pela primeira vez, à metodologia do novo sistema europeu de contas (SEC2010).

Comparativamente aos cálculos baseados no anterior sistema, e divulgados em abril passado, a diferença é mínima no caso português, registando-se apenas uma ligeira redução da dívida, e que se deve sobretudo à nova forma de cálculo do Produto Interno Bruto (PIB).

Segundo os dados então hoje divulgados, e compilados com base no novo sistema de contas e também noutros ajustamentos estatísticos, Portugal terminou 2013 com um défice de 4,9% do PIB (o mesmo valor divulgado há cerca de seis meses tanto pelo Eurostat como pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e uma dívida pública de 128%, que foi ainda assim a segunda maior da UE, apenas atrás da Grécia (174,9%).

A nova metodologia altera de forma mais significativa os valores para Portugal nos anos anteriores: à luz do SEC2010, Portugal teve uma trajetória de défice de 11,2% do PIB em 2010, que caiu para 7,4% em 2011 e 5,5% em 2012, fixando-se então nos 4,9% no ano passado.

O Governo desenhou a proposta de Orçamento do Estado para 2015 para atingir um défice de 2,7% do Produto Interno Bruto (PIB) no final do ano, acima dos 2,5% que tinham ficado acordados com os credores internacionais aquando do programa de ajustamento.

Já quanto à dívida, de acordo com a nova metodologia utilizada pelo Eurostat, esta era de 96,2% do PIB em 2010, tendo crescido para os 111,1% no ano seguinte, para 124,8% em 2012, e para 128% em 2013.

A proposta de Orçamento de Estado para 2015 apresentada pelo Governo contempla uma estimativa de redução da dívida pública portuguesa no próximo ano para os 123,7%.

A nível global, o défice em 2013 “recuou” ligeiramente tanto na zona euro como na UE em virtude dos novos cálculos – no espaço da moeda única foi então de 2,9% (contra 3% segundo o anterior sistema) e na UE de 3,2% (contra a anterior estimativa de 3,3%) -, tendo a dívida sido revista em baixa de forma mais significativa, fixando-se, respetivamente, nos 90,9% e 85,4% (em abril os dados apontavam para 92,6% e 87,1%).

ACC // MSF