Défice da balança de pagamentos sobe para 447 milhões de euros até maio de 2017

Atualizada

Página criada: Quinta-feira, 3 Agosto 2017 12:03 GMT | Atualizada: Quinta-feira, 3 Agosto 2017 15:08 GMT

Palavras-Chave:
Atividade Turística  Balança Corrente  Balança de capital  Balança de Pagamentos   Bens  Exportações  Importações  Serviços

Défice da balança comercial de bens volta a aumentar em maio

Entre janeiro e maio de 2017, o saldo conjunto da balança corrente e de capital piorou e atingiu um défice de 443 milhões de euros. As exportações e as importações de bens cresceram 15,4% e 22,4% no mês de maio, respetivamente, o que resultou numa degradação do défice da balança comercial de bens em 504 milhões de euros. A balança de serviços registou um excedente de 5 969 milhões de euros nos cinco primeiros meses do ano.

As exportações e importações de bens cresceram em maio de 2017, em termos homólogos, 15,4% e 22,4%, respetivamente. Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações e as importações subiram 14% e 19,2%, respetivamente. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), o défice da balança comercial de bens fixou-se nos 1 438 milhões de euros em maio, correspondendo a um aumento de 504 milhões de euros face ao período homólogo.

De acordo com o Banco de Portugal, a balança de serviços apresentou um excedente de 5 969 milhões de euros até maio, o que corresponde a uma melhoria de 620 milhões de euros face ao período homólogo. Este excedente foi superior ao défice de 4 753 milhões de euros da balança de bens calculado por esta instituição, fixando-se o saldo da balança de bens e serviços nos 1 216 milhões de euros positivos, uma diminuição de 605 milhões de euros face ao mesmo período de 2016. Esta evolução resulta do aumento das exportações de bens e serviços, de 13,4%, ter sido inferior ao das importações, de 15,7%.

Quanto à balança de pagamentos, e de acordo com dados do Banco de Portugal, a balança corrente e de capital registou um défice de 447 milhões de euros entre janeiro e maio, o que significa um agravamento de 110 milhões de euros face ao mesmo período do ano anterior.

Em maio de 2017, a atividade turística dos estabelecimentos hoteleiros registou 2 milhões de hóspedes e 5,4 milhões de dormidas, o que corresponde a variações homólogas de 7,9% e 7,2%, respetivamente. De acordo com o INE, as dormidas de residentes subiram 7% e as de não residentes cresceram 7,3%. Os proveitos totais atingiram os 318,8 milhões de euros e os de aposento fixaram-se em 230 milhões de euros, o que significa crescimentos de 19,5% e 21%, respetivamente.

Quarta-Feira, 19 julho 2017 14:25

A melhoria no saldo da balança de serviços não foi suficiente para compensar o agravamento do desequilíbrio na balança de bens....

Segunda-Feira, 10 julho 2017 14:24

As exportações de bens aumentaram 15,4% e as importações subiram 22,4% em maio face ao período homólogo, o que se repercutiu num agravamento do défice da balança comercial para 1,438 mil milhões de euros, segundo os dados...