Produto Interno Bruto cresce 2,9% no segundo trimestre de 2017

Atualizada

Página criada: Sexta-feira, 15 Setembro 2017 14:17 GMT | Atualizada: Segunda-feira, 18 Setembro 2017 18:12 GMT

Palavras-Chave:
Investimento  PIB   Portugal  Procura interna

Inflação estabiliza nos 0,9% em julho

O PIB cresceu 2,9% em termos homólogos no segundo trimestre de 2017, 0,1 pp acima do registado no trimestre anterior. Esta evolução resultou de um maior contributo da procura interna devido à aceleração do investimento. A taxa de inflação estabilizou, fixando-se novamente nos 0,9% em julho de 2017. A generalidade dos indicadores económicos voltaram a revelar uma tendência ascendente da economia portuguesa, à exceção dos indicadores do INE e da Comissão Europeia que interromperam trajetórias positivas.

O Produto Interno Bruto cresceu 2,9% no segundo trimestre de 2017 em termos homólogos, 0,1 pp acima do crescimento registado no trimestre anterior. Este valor é superior aos 2,2% e 2,3% verificados na Zona Euro e na União Europeia, respetivamente. De acordo com o Instituto Nacional de Estatística, esta evolução resultou de um maior contributo da procura interna (de 2,6 pp para 2,7 pp), refletindo uma aceleração da formação bruta de capital fixo, o qual subiu de 7,7% no primeiro trimestre para 9,3% no segundo trimestre. A procura externa líquida registou um contributo ligeiramente positivo (0,1 pp), tendo-se verificado uma desaceleração do volume das exportações de bens e serviços semelhante à das importações. Em comparação com o trimestre anterior, o PIB cresceu 0,3%, 0,7 pp abaixo do registado naquele trimestre e 0,4 pp abaixo do registado tanto na Zona Euro como na União Europeia.

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor (IPC) fixou-se em 0,9% em julho de 2017, igual à registada em junho. O indicador de inflação subjacente, IPC excluindo produtos alimentares não transformados e produtos energéticos, teve uma variação homóloga de 1,0%, menos 0,1 pp do que no mês anterior. O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor, que serve para comparar os preços entre os diferentes países da União Europeia, registou uma variação homóloga de 1%, inferior ao registado na Zona Euro e na União Europeia, 1,3% e 1,5%, respetivamente.

O indicador de confiança dos Consumidores do INE diminuiu em agosto, pondo fim à trajetória positiva iniciada no início de 2013 que terminou em julho deste ano, mês onde se atingiu o valor mais elevado da série iniciada em novembro de 1997. O indicador de clima económico também diminuiu, após atingir no mês anterior o seu valor máximo desde julho de 2002. Os Indicadores Coincidentes Mensais do Banco de Portugal para a Atividade Económica e para o Consumo Privado voltaram a aumentar em agosto de 2017. O indicador de sentimento económico da Comissão Europeia interrompeu a trajetória ascendente e desceu em agosto. O Índice dos Indicadores Compósitos da OCDE voltou a subir ligeiramente em junho, fixando-se nos 100,07.

ECO News- Portuguese Economy

Sexta-Feira, 8 setembro 2017 10:26

The increase in Portugal's quarter-on-quarter GDP in the second quarter of 2017 was 0.3%, the same as in the United Kingdom. It is the worse performance among EU's member States.

The 2.9% GDP incre...

Quinta-Feira, 30 janeiro 2014 18:09

The economic climate indicator and the consumer confidence indicator both recovered somewhat in January with the latter reaching the best level since April 2010, the Portuguese National Statistics Institute (INE) said on Thursday....